Fique por Dentro

Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento

Médico sanitarista e consultor da Fundação 1º de Maio, Diógenes Sandim
Publicado em: 21/maio/21   |   Autor: Diógenes Sandim

O dia Mundial da Diversidade Cultural para o diálogo e o desenvolvimento é uma data  internacional sancionada pelas Nações Unidas para a conscientização sobre a importância do respeito à diversidade.


Foram nos primeiros anos do século XXI, mais precisamente em 2002, que a ONU em assembleia geral declarou o dia 21 de maio como data importante a ser celebrada no mundo todo, para a conscientização sobre a DIVERSIDADE. Um fenômeno que condiciona e sustenta a vida e seu desenvolvimento no planeta. 


Quando se fala em  diversidade se pensa logo na variedade de formas vivas que existem em nosso planeta e que devemos respeitá-las, dada a importância da preservação de todos os ecossistemas que nos rodeiam. A diversidade biológica  se apresenta dentro das espécies, entre espécies e entre ecossistemas; um fenômeno emergente da organização  de todo processo da formação de um ser vivo.


Quando passamos a estudá-la no contexto da espécie humana, essa capacidade intelectiva, única entre todas as espécies, é produto da complexidade interativa das diversidades presentes em todos níveis e dimensões do desenvolvimento físico e biológico da natureza. São bilhões de anos em curso de diversidades complementares, concorrentes e antagônicas que, em circuitos cursivos e recursivos, autógenos e integrados com a natureza em sua volta, produziram vidas emergentes sustentáveis, classificadas em gênero e espécie, e entre essas o Homo sapiens, emergência surgida, com sua complexidade em processo mais evoluída, há mais ou menos 300.000 anos.


São milênios de “estrada,” são milênios de história e cultura, e é chegada a hora de “deixar de apontar para o horizonte e continuar olhando  para a ponta do dedo”. Nós, seres humanos, não podemos fugir da essência de sustentação da vida e de sua evolução e desenvolvimento, qual seja a DIVERSIDADE. Não podemos negar, no contexto de nossa existência, o “leitmotiv” que reaparece de modo constante em tudo que existe em nossa volta. 


E, assim como tudo é em natureza, tudo deveria ser também  por obra da inteligência humana. Cultivando a diversidade em todas as dimensões de nossa existência, entendendo-a  e a usando, por meio de método, deveríamos cultivá-la para o desenvolvimento social.  


Desde 1789, há 232 anos por tanto de idade moderna, já percebemos que somos seres relacionais, justamente para sustentarmos, por meio do diálogo, nossas diferenças diversas, como ferramenta de construção para o nosso desenvolvimento em sociedade. 


O respeito pela diversidade humana é o respeito pelo direitos humanos e pela promoção e preservação da cultura de um povo. A diversidade cultural constitui o patrimônio comum da humanidade e deve ser reconhecido e consolidado nesse novo século. O diálogo é o instrumento que devemos utilizar para ampliar a consciência sobre o papel fundamental da diversidade para o desenvolvimento da sociedade. 


O partido Solidariedade fundamenta seus pensamentos nesse ideário, tão bem expresso nesse dia 21 de maio, com o DIA MUNDIAL DA DIVERSIDADE CULTURAL PARA O DIÁLOGO E O DESENVOLVIMENTO.  

Que nossos militantes e dirigentes possam nestes “tempos de cólera,” passar esta mensagem em suas propostas de políticas públicas .

2020 Fundação 1º de Maio. © Todos os direitos reservados.